15.4.13

.O meu mundo de palavras...

Foto tirada hoje no jardim
 
Quando olho as tranças das glicínias,
hesito entre a alegria do momento
e a consciência dolorosa da sua efemeridade…
Restam-me as palavras.
Com elas, construo os meus universos secretos
e partilho as emoções que me alimentam a alma.
Assim, esqueço o tempo que passa
(ora manso, como um cordeiro,
ora feroz e implacável, como um vendaval incontrolável)
e dou atenção às pequenas coisas.
Sou apenas um colecionador de momentos no baú da memória…
 
António Pereira


2 comentários: